31 de Jul de 2014
Jornal Extra de Alagoas

Notícias

atualizado 12 de Setembro de 2012 - 11:52

COLUNA

Repórter Econômico

jair pimentel reporter repórter economico econômico

jair pimentel reporter repórter economico econômico

“Tragédia financeira”
Aumenta a cada mês o endividamento da população brasileira, enquanto o País não pára de crescer economicamente, exportando muito e sendo o sétimo maior PIB (Produto Interno Bruto) do mundo. O crédito fácil que perrdurou durante a Era Lula, ficou um pouco apertado agora na Era Dilma, as continua livre, inclusive para quem tem o nome incluído na "lista negra" do SPC. É a chamada "tragédia financeira" onde se entra no fundo do poço e não tem condições de sair. São assalariados que já ultrapassaram a própria renda com dívidas astronômicas impagáveis, que resultaram do acúmulo de empréstims consignados (descontos em folha), carnês de lojas, cartão de crédito, cheque especial e agiotas. Compraram por impulso e chegaram ao ponto de não conseguir mais pagar. Os credores até que negociam, chegando a dispensar juros, mas a dívida tem que ser paga. O crédito só é recuperado quando o débito é quitado. É aí que entra o agiota, emprestando di-nheiro até por 15% ao mês. 

Orientando
Quem lê a coluna (impressa ou on line), páginas de economia, noticiário na TV ou rádio, recebe sempre orientação de como sobreviver com tranquilidade, sem dívidas impagáveis, apenas procurando consumir menos, evitar os juros absurdos e poupar. As facilidades do crédito são muitas. Até quem não tem renda, consegue facilmente um cartão de crédito, alegando que é profissional autônomo,sem comprovante de renda. 


Pesquisando
Procure sempre ir às compras com uma lista e só comprar mesmo o que estiver anotado, pesquisando muito, observando marcas de produtos e qualidade, mas sempre de olho no preço. Qualquer dinheiro economizado, é um bom negócio e ajuda você a controlar seu orçamento. 

Aluguel
Os reajustes anuais de aluguel de imóveis é sempre o dobro da inflação do período, e consequente do seu aumento de salário. Para conseguir um financiamento e adquirir a casa própria, o interessado deve ter seu nome "limpo" na praça e a prestação a ser paga a "perder de vista" também aumenta a cada ano. É um dos ítens que vem puxando a inflação para cima nos últimos meses. 


Condomínio
É outra conta que aumenta anualmente e sempre superior a inflação. Em alguns casos o valor chega próximo ao próprio aluguel ou prestação do financiamento do imóvel. Fique de olho, observando a legalidade desses aumentos e das despesas extras, participando das reuniões e exigindo o balancete mensal. 


Tags: Coluna,economia

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário:












Comentário enviado com sucesso.

enviar outro comentário.