24 de Abril de 2014
Jornal Extra de Alagoas

Notícias

atualizado 24 de Setembro de 2012 - 11:07

ENTREVISTA

Adriano Soares diz que não há crise na educação em Alagoas

Novo Secretário de Educação do Estado promete manter diálogo franco com servidores

Foto: Valdir Rocha / Agência Alagoas

Adriano Soares secretário de Educação advogado eleitoral

Adriano Soares secretário de Educação advogado eleitoral

O advogado Adriano Soares assumi, na próxima se-mana, a Secretaria Esta-dual de Educação e promete manter diálogo franco com os servidores. O que o levou a aceitar o desafio foi a possibilidade de auxiliar o governador Teotônio Vilela a desenvolver a educação do Estado. Embora afirme que não existe crise na educação, entende que há a necessidade de investimento na infraestrura das escolas e inves-tir em gente, com cursos de capacitação e busca de novas políticas remuneratórias. Leia entrevista concedida ao Extra.Jornal Extra- O senhor assumi a pasta em um momento de crise e greve.

Essa situação lhe assusta? 

AS - Não vejo crise. Pelo contrário. Há normalidade, porque as greves de maio passaram a integrar a agenda de alguns sindicatos. Existe hoje um cíclico movimento grevista, que tem ocorrido constantemente no serviço público estadual. Foi assim no governo Geraldo Bu-lhões, depois no Governo Divaldo Suruagy, nos 8 anos do Go-verno Lessa e no primeiro mandato do Governo Vilela. A rigor, portanto, historicamente as greves têm sido uma cons-tante. O que seria o último instrumento de reivindicação passa a ser o primeiro e único meio, sem que as negociações se esgotem e possam, dentro dos limites da realidade financeira do Estado, gerar consenso. Acredito, porém, que Governo e sindicatos chegarão a um acordo.

JE- O que o levou a aceitar este novo desafio em um período tão conturbado? 

AS - O que me fez aceitar o desafio foi a possibilidade de auxiliar o Governador Teotônio Vilela a desenvolver a educação do Estado. Uma área fundamental, complexa e essencial para mudar a qualidade de vida de muitos dos alagoanos, gerando maiores oportunidades. Penso que a educação é o maior instrumento de humanização e de desenvolvimento de um povo. O Sen. Benedito de Lira me convidou com esse propósito: traba-lhar duro pelas nossas crianças e adolescentes.

JE- O que o senhor vai fazer para resolver o problema da educação em Alagoas já que estamos sempre no topo do ranking de analfabetismo, entre tantos fatores negativos?

AS - O problema da educação diz respeito a todos nós. Ninguém o resolve sozinho. Da minha parte, como secretário, a pretensão é ter um diálogo sempre franco e fraterno com os professores e servidores da educação, que são essenciais para que tenhamos um ensino de qualidade. Investir em gente, com cursos de capacitação e busca de novas políticas remuneratórias, a serem construídas com o Sinteal. Precisamos estimular cada vez mais aqueles professores em sala de aula, dedicados à causa da educação.

JE- O que fazer?

AS - Há a necessidade de forte investimento na infraestrura das escolas. Tanto precisamos construir novas escolas, como temos que ter uma política de rápida reparação daquelas que necessitam de pequenas intervenções. Precisamos descentralizar certos serviços, para que tenhamos agilidade nas soluções. Aliás, esse foi um ponto que o Governador me solicitou atenção: agilidade de atuação e solução aos problemas.  

JE- Que postura o secretário terá no comandante da pasta?

AS- O que desejo muito, na secretaria, é construir um processo de diálogo com todos, sobretudo os servidores públicos. Minha mãe é professora estadual aposentada. Fui aluno do Grupo Escolar Padre Aurélio Góes, em Junqueiro. Sei a importância do professor para os alunos, para a sua formação, para o gosto pelos livros. É com esse espírito que assumirei a Secretaria de Educação.

JE- O senhor vai se submeter à orientação do senador Benedito de Lira que tem o comando político da pasta?

AS - Submeter, não. A relação entre mim e ele  não é de mando, mas de respeito. Ele não é meu padrinho político, porque não tenho padrinho. É o Senador mais votado de Alagoas, que me fez um convite para trabalhar duro pela educação. Resisti, não aceitei, porque não pretendia mais voltar ao serviço público. Mas fui convencido, porém,  pela disposição dele e do Go-vernador Teotônio Vilela em modernizarem a educação de Alagoas. Mas, ouvirei as eventuais orientações do Senador, com atenção e respeito, mas com autonomia para decidir. 

JE-  Entre outros nomes, o senhor foi consenso na hora da escolha. A que se deve isto?

AS - Talvez por já ter sido secretário do Gov. Teotônio e ter uma relação familiar com o Senador: minha esposa é sobri-nha dele.

JE- Algumas pessoas criticam por um advogado ir comandar os destinos da educação no Estado. O senhor ver algum obstáculo neste sentido? 

AS - Essa é, evidentemente, uma falsa questão. Um advogado seria inepto para ser Secretário de Educação? Na verdade, quem comanda uma pasta complexa deve estar bem assessorado, com técnicos competentes, além de ter humildade para aprender. Ninguém sabe tudo. Liderar é servir e dialogar. O Secretário de Estado, seja de que pasta for, deve primeiro saber exercer a liderança servidora, inspirar os seus liderados em torno de projetos e finalidades factíveis, mas desafiadores. Essa é a minha pretensão. Não sou educador de profissão; quero aprender muito com os que são e contribuir com a minha experiência de gestão pública.

JE- Qual será sua postura com o sindicato da categoria e os servidores da educação em geral?

AS - Diálogo, diálogo, diálogo, diálogo. Diálogo é um processo sempre difícil, que alguns confundem com submissão. Dialogar é construir em conjunto o consenso, com abertura sincera para o outro e respeito mútuo. É isso que desejo: a partir da transparência das ações esta-belecer as pontes para o diálogo verdadeiro e constante.

JE - O senhor já assumiu outras pastas. A experiência vai ajudar neste novo desafio?

AS - Sim, aprendi muito e cresci como pessoa. 

JE - O senhor já se encontrou com Rogério Teófilo?

AS - Já conversamos mais de uma vez e estamos fazendo uma transição fraterna. Rogério tem sido muito correto comigo. Creio que é um nome forte a Prefeito de Arapiraca. 

JE - Deixe um recado para  os servidores da educação.

AS - Os servidores públicos da educação são a pedra angular do sistema estadual de ensino. Acredito que podemos construir  o futuro de gerações e do Estado de Alagoas. E com diálogo, trabalho e abertura, poderemos desenvolver um projeto educacional que todos sonhamos para as nossas crianças e jovens.


Tags: Adriano,educação,Alagoas

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário:












Comentário enviado com sucesso.

enviar outro comentário.